Fórum dos Gestores e Gestoras da Agricultura Familiar debate sobre o Pronaf com o BN

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), por meio do presidente Reginaldo Alves, participou, juntamente com o secretário do Desenvolvimento Agrário Dilson Peixoto, da reunião remota com o Fórum dos Gestores e Gestoras da Agricultura Familiar do Nordeste e gestores do Banco do Nordeste, da sua sede em Fortaleza, no Ceará. O encontro ocorreu na manhã desta quinta-feira (16), na plataforma Microsoft Teams.

A conferência resultou na articulação do Fórum de Secretários do Nordeste, coordenado pelo secretário de Desenvolvimento Agrário do Ceará, De Assis Diniz. O objetivo é discutir sobre o Plano Safra 2020/2021, apresentação da Plataforma de Crédito Especializado pelo Banco do Nordeste e análise do Pronaf, a partir da leitura feita pelo Fórum de Secretários.

“A reunião possibilitou o debate com o Banco do Nordeste sobre alguns entraves, relativos ao acesso a crédito e a apresentação das inovações adotadas pelo banco, a exemplo da plataforma de crédito especializado, mas principalmente pela compreensão de todos da necessidade de promover ações integradas e adotar novos instrumentos que permitam ampliar o acesso ao crédito Pronaf, pela agricultura familiar”, concluiu o presidente do IPA.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

Pesquisas viabilizam acesso a tecnologias para a Agricultura Familiar

Os trabalhos desenvolvidos pela Diretoria de Pesquisa do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) vem viabilizando o acesso de inovações tecnológicas aos agricultores familiares e reduzindo os custos dos serviços.Um bom exemplo é o Apoio à Pecuária de Leite em Pernambuco com a aquisição e distribuição de 85 toneladas de sementes de sorgo forrageiro, da Variedade SF 15, desenvolvida pelo Instituto. No caso da palma forrageira, o IPA distribuiu nos últimos 5 anos, 60 milhões de raquetes.

Entre 2019 e 2020, já foram distribuídas 60 milhões de raquetes de palma forrageira. Tanto o sorgo como a palma forrageira são ações de inovação tecnológica para estabilizar a produção de leite no Estado, assim como são tecnologias de convivência com a seca.

Outra base importante para o produtor é o Laboratório de Reprodução e Melhoramento Genético Animal, no município de Arcoverde. O laboratório possui capacidade de produzir 50 mil doses de sêmen beneficiando 3,4 mil criadores por ano. A prioridade é atender os pequenos produtores da bacia leiteira, duramente afetada pela estiagem prolongada. Para isso, são trabalhados reprodutores e matrizes de alta linhagem, de raças aptas à produção de leite, como Holandesa, Girolando e Guzerá leiteiro.

Também são prestados serviços para médios e grandes pecuaristas, de acordo com a demanda e realizadas pesquisas contínuas de melhoramento genético e eficiência reprodutiva e oferta via leilões de tourinhos e matrizes para recria e reposição do rebanho com alta qualidade genética. Com a inauguração do Laboratório Regional de Análises Clínicas em Apoio a Ovinocaprinocultura, em Petrolina, o IPA espera realizar 600 exames mensais, atendendo 120 agricultores/criadores por mês, de forma gratuita, no Sertão do São Francisco.

As amostras enviadas para o laboratório deverão formar um banco de dados, que será usado para mapear as zonas de maior incidência parasitária e estabelecer um trabalho educativo e preventivo sobre o controle das parasitoses.O IPA também lançou a cultivar de cebola Brisaverão IPA 13 e cultivares de Palma forrageira, resistentes à cochonilha do Carmim, além de ter desenvolvido cultivares de tomate com múltiplas resistências a doenças.

Outros avanços da pesquisa foram a inserção de tecnologias inovadoras na prática do uso e reuso de água salina e de utilização de ambiente salinizado por plantas tolerantes; agricultura biossalina como alternativa para o desenvolvimento sustentável do semiárido pernambucano. Como também estudos de processos hidrológicos como base para o gerenciamento de recursos hídricos no estado de Pernambuco: experimentação e modelagem, cenários atuais e futuros.

Os estudos também identificaram marcadores moleculares funcionais para tolerância à cochonilha-de-escamas da palma forrageira e sistematização de dados e desenvolvimento de metodologias para uso no sistema de alerta precoce da vulnerabilidade do rebanho pecuário da região semiárida de Pernambuco. Outro estudo foi sobre o germoplasma de feijão-caupi que revelou a susceptibilidade a doenças.

Os trabalhos também obtiveram resultados promissores para controle biológico da cochonilha do carmim, além da utilização de variedade de sorgo sudanense para produção intensiva de forragem em leitos secos de açudes do semiárido e para a produção intensiva de forragem em cultivo de vazante. Outro avanço foi a obtenção de híbridos de abacaxizeiro resistentes à fusariose. As vacas holandesas do IPA obtiveram avaliação positiva quanto à transmissão genômica e termotolerância para as condições do semiárido.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

Investimentos impulsionam Agricultura Familiar de PE

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco (SDA), presente em 184 municípios, investiu pesado no fortalecimento da agricultura familiar, entre fevereiro de 2019 a maio de 2020. A comprovação está nos excelentes números obtidos nas áreas de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), Pesquisa e Infraestrutura Hídrica, fundamentais para o desenvolvimento rural, por meio da geração de renda e da elevação da qualidade de vida do agricultor familiar, cujos produtos correspondem a 70% do que é consumido no País.

Para se ter uma ideia, nesse período, a Diretoria de Recursos Hídricos registra a perfuração de mais de 1000 poços, sendo 250 por meio de execução direta (perfuratriz própria) e mais de 800, perfurados em parceria com os municípios. Além disso, a Diretoria de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) contabiliza o atendimento a 45.430 famílias, em 182 municípios, sendo 21.821 mulheres. No total, foram 110.344 assistências técnicas, 160.482 atendimentos, com 467 capacitações, entre cursos, oficinas, intercâmbios, dias de campo, entre outros.

Foram assistidas 2200 associações assistenciais, com 33.955 sócios beneficiados, em 140 municípios, além de 35 cooperativas assistidas. Apenas no primeiro trimestre de 2020, foram atendidas 6224 famílias, com 7.308 assistências técnicas e 17.381 atendimentos, um resultado positivo, mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia do Novo Coronavírus.

Já o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) beneficiou 690 entidades, com a participação de 3.820 agricultores fornecedores, de 107 municípios. Ao todo, foram adquiridos 3.229.912,79 quilos de alimentos, somando R$8.440.365,26, entre março de 2019 e maio de 2020.

Por sua vez o Programa Dom Hélder contou com valor repactuado da ANATER da ordem de R$ 8.585,541,88, com contrapartida do IPA de R$9.365.584,76. Foram concluídas as seguintes ações; 277 reuniões, de mobilização e com os Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável, 5.460 cadastros, 5.460 diagnósticos das UFPA, 5.460 projetos produtivos, implantação de 40 unidade demonstrativa de palma, realização de 58 cursos em Gestão e Comercialização, além de1.342 fomentos para estruturação de projetos produtivos.

As ações resultaram na realização de 34.927 visitas técnicas, 58 excursões, 58 unidades de referências, 5.460 atualizações de diagnóstico, 58 reuniões de socialização nos CMDRS, 58 seminários avaliação do projeto. Já a execução do Programa Garantia Safra garantiu a emissão de 14.732 DAP´s, com 4.564 desbloqueios até novembro de 2019.

Além disso, o Programa de Sementes distribuiu 313.090 quilos de grãos , beneficiando 64.463 famílias, sendo 198.050 quilos de milho, 79.690 quilos de feijão e 35.350 de sorgo forrageiro. Em 2020, foram distribuídos 50.000 quilos de feijão, 615.200 quilos de milho e 151.400 quilos de sorgo forrageiro.

Uma iniciativa de sucesso é o Programa Horta em Todo Canto que já soma oito cursos realizados na horta escola, com o tema Implantação de Horta Orgânica, sendo 240 pessoas certificadas, entre servidores do estado e público em geral. No total , foram seis Hortas implantadas do programa acompanhadas pelo IPA: Palácio do Governador, Centro de Convenções, Hospital Otávio de Freitas, Compaz, Parque Santos Dumont e Fórum de Arcoverde.

O IPA vem ampliando a atuação no Estado, por meio da inauguração de novos escritórios locais. Em 2020, foram inauguradas unidades em Camaragibe e em Fernando de Noronha. A frente de atuação do IPA no arquipélago abrange a Pesca, Agricultura, criação de animais (caprinos, ovinos, bovinos, equinos e abelhas, Segurança Alimentar e Nutricional e o acesso às Políticas Públicas.

Durante o período de Pandemia da Covid-19, o IPA encaminhou equipe técnica para a Ilha de Fernando de Noronha, para cadastrar e capacitar famílias interessadas na produção local de alimentos. Foram cadastradas mais de 90 famílias e, juntamente com a Administração da Ilha, está em curso o trabalho de distribuição de sementes e capacitação sobre diversos cultivos.

Também vem investindo na implantação de um abatedouro no distrito de Rajada e outro em Petrolina, que também recebeu o projeto do Central de Comercialização de Frutas do Vale do São Francisco, em fase de implantação, realizado por meio da parceria firmada entre o Instituto e a Compesa. A iniciativa permitirá que as famílias sertanejas tenham um local organizado para escoar e comercializar a produção.

Além dessas ações, o IPA também implantou unidades de Agente de Crédito do Banco do Brasil – COBAN , Implantação do novo Sistema de Monitoramento e Gestão de Dados; Identificação das Cadeias Produtivas e Eixos Prioritários.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

Governo de Pernambuco garante R$ 32,4 milhões para produtos da agricultura familiar do Estado

O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, confirmou a adesão ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) Federal e ao PAA Leite (Programa do Leite), garantindo um montante de R$ 32,4 milhões para a compra de produtos agropecuários produzidos pela agricultura familiar. Com a adesão, o Estado garante mais um mecanismo para o escoamento da produção de trabalhadoras e trabalhadores rurais pernambucanos.

Do total de recursos, R$ 8,1 milhões se referem ao PAA Federal, destinado à aquisição de produtos agrícolas para doação às famílias em situação de insegurança alimentar e às assistidas pela rede pública de assistência social. O edital com ampliação dos recursos do programa foi publicado pelo Ministério da Cidadania na última segunda-feira (8). Em Pernambuco, o programa vai beneficiar 1.249 agricultores, em 144 municípios, com um valor de aproximadamente R$ 6.500 por produtor.

Outros R$ 24,3 milhões dizem respeito ao Programa do Leite, dos quais R$ 19,5 milhões são recursos do Governo Federal e R$ 4,8 milhões do Governo de Pernambuco. Os recursos beneficiarão cerca de 4.300 criadores de vaca e 2.000 criadores de cabra, garantindo o fornecimento diário de até 100 litros de leite in natura por produtor e uma cota individual de até R$ 18 mil por ano. Também serão beneficiadas cerca de 35 mil famílias em situação de vulnerabilidade social, que receberão o leite adquirido aos produtores.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco, Dilson Peixoto, os recursos vão ajudar no escoamento da produção de agricultores e criadores de animais pernambucanos, comprometido pelo fechamento temporário de estabelecimentos como restaurantes, lanchonetes, pizzarias, além da queda de demanda em hotéis e pousadas. “A ampliação dos recursos para o PAA Federal e Programa do Leite foi uma demanda apresentada conjuntamente por todos os secretários estaduais de agricultura do País, como forma de reduzir os impactos da pandemia na produção agropecuária dos Estados. Logo no início da pandemia, ainda em março, apresentamos um conjunto de sugestões de apoio aos produtores e agricultores familiares e vamos continuar tentando sensibilizar o Governo Federal para que outras medidas sejam implantadas também”, destacou Dilson.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

Agricultura Familiar de PE supera desafios da pandemia com apoio do IPA

Representando 70% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros, os agricultores familiares enfrentam desafios durante a pandemia do novo coronavírus. Redução da demanda, dificuldade para escoar os produtos devido à necessidade do isolamento social e a queda dos preços são alguns dos fatores que dificultam a vida desses trabalhadores. O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) acompanha essas famílias e oferece ações de apoio para o enfrentamento dessas dificuldades.

Este formato de agricultura tem como base o compartilhamento do trabalho na família e representa, para cada grupo, sua principal fonte de renda. O agricultor mantém uma relação particular com a terra, seu local de moradia e trabalho. De acordo com o diretor de extensão rural do IPA, Reginaldo Alves, a agricultura familiar é responsável por 80% a 90% da dos alimentos contidos na cesta básica pernambucana. O instituto atende cerca de 50 mil famílias empregadas neste sistema no Estado.

Com a pandemia, surgiram desafios diante de um momento importante para a agricultura familiar em Pernambuco. O IPA, portanto, desenvolve algumas atividades de apoio ao setor. “O principal objetivo de nossas ações nesse contexto é aproveitar e garantir a renda nesse momento de chuva super importante para o cultivo. No Sertão, ou se planta até o mês de março ou o ano está perdido. No Agreste, o limite é o mês de maio”, avalia Reginaldo.

Seguindo determinações sanitárias de isolamento e saúde, o IPA oferece suporte aos agricultores que desejem se cadastrar para receber o auxílio emergencial do Governo Federal, realizam processos de renovação de documentos e financiamentos, criação de grupos no WhatsApp com os agricultores para compartilhamento de informações e debates acerca do cultivo, produção e reuniões por videochamada. Além disso, o IPA desenvolve e distribui digitalmente, materiais em formato de card para conscientização sobre o coronavírus e informações técnicas sobre prevenção durante este período. “Já estamos no oitavo card com circulação nas redes sociais, incluindo o WhatsApp. Orientamos também a fabricação de máscaras, como higienizar os alimentos e o corpo, além de boas práticas de conservação dos produtos. Uma equipe está focada nessa produção de conteúdo durante este período”, garante Reginaldo.

Aprovado no dia 14 de maio, por unanimidade em segunda votação na Assembléia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o Programa Estadual de Aquisição de Alimentos auxilia na garantia da renda para o agricultor e na alimentação para diversos órgãos. A medida cria uma regra onde a compra de alimentos para os equipamentos estaduais (hospitais, polícia militar, sistema penitenciário, etc) considere um mínimo de 30% originários da agricultura familiar, pescadores artesanais, povos e comunidades tradicionais.

Essa medida reforça o programa já existente anteriormente em parceria com o Ministério da Cidadania, chamado de Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Reginaldo conta que, com investimento de R$ 9 milhões, o vencimento do projeto é em junho, a nova proposta estima um financiamento de R$ 12 milhões para as aquisições de alimentos oriundos da agricultura familiar em Pernambuco. “Nesse momento de pandemia, precisamos dar esse suporte técnico para que a agricultura familiar continue suas atividades”.

Reginaldo reforça a necessidade de ações que auxiliem nesse momento. “Estamos fazendo um trabalho junto à Secretaria de Desenvolvimento Agrário de atenção às feiras locais (agroecológicas e orgânicas). Pensamos que, nesse momento, a dificuldade de acesso aos mercados e alguns pontos de venda ficou mais complicado e se torna importante a criação de novos mecanismo de contato com o consumidor, seja por entregas em domicílio e relacionamento via plataformas virtuais”.

O IPA reúne mais de 400 técnicos nos 185 municípios de Pernambuco, incluindo Fernando de Noronha, onde os profissionais desenvolvem um mapeamento da capacidade produtiva da Ilha, estimulando uma produção local que auxilie na independência do continente, que acaba por elevar o preço de alguns produtos.

Fonte: Jornal Folha de PE

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

IPA incentiva Agricultura Familiar em Fernando de Noronha

Moradores de Fernando de Noronha começaram a receber nesta terça-feira (12), sementes de feijão, milho, melancia, abóbora e hortaliças folhosas, para iniciar o processo de incentivo à Agricultura Familiar. A ação, realizada por meio da parceria firmada entre o Instituto Agrônomo de Pernambuco (IPA) e a Administração do Distrito Estadual de Fernando de Noronha, tem como objetivo estimular a população do arquipélago a produzir os próprios alimentos no período de isolamento social em razão do Novo Coronavírus. “No momento, quatro extensionistas prestam serviço de assistência técnica a 93 quintais produtivos”, destaca o gerente do Departamento de Assistência Técnica, Maviael Fonseca.

De acordo com o técnico do IPA, Guilherme Almeida, os moradores da ilha cadastrados na primeira fase do projeto já receberam parte das sementes e aguardam agora a chegada de outros materiais. “Já fizemos a divisão das sementes entre os moradores. A outra parte está na embarcação que está para atracar no Porto de Santo Antônio. Nela também estão outros materiais que vão auxiliar no plantio, como enxadas, pás e bandejas de germinação, que servem para germinar as sementes e evitar o ataque de pragas e doenças às plantas”, explicou.

O Administrador de Fernando de Noronha, Guilherme Rocha, afirmou que a agricultura familiar é mais uma forma de atender as necessidades das famílias no período da quarentena. “Diante das necessidades que muitos estão vivendo por causa da Coivd-19, como a falta de renda e a necessidade de se manter em casa, é de grande importância poder cultivar o próprio alimento para abastecer a família. Essa foi mais uma forma que encontramos para dar suporte à população noronhense”, disse.

Para a moradora da ilha Ana Jabur, proprietária do restaurante Mesa da Ana, será possível resgatar a prática do plantio. “Com a orientação dos técnicos e o incentivo, começamos a retomar o cultivo. Já iniciamos uma horta e a preparação para semear as novas sementes. Só tenho que agradecer a iniciativa”, disse.

Por causa do isolamento social e como forma de prevenção ao coronavírus, o IPA disponibilizou um número de Whatsapp, (81) 99357-4018, para manter contato com os moradores. “Estamos com esse número exclusivo para as ações do IPA em Fernando de Noronha. Através dele passamos orientações e tiramos dúvidas. Caso necessário, fazemos uma visita ao domicílio do morador para orientação presencial. Também criamos grupos para enviar vídeos que foram gravados com instruções e informações técnicas sobre o preparo de canteiros, como utilizar vasos e recipientes não convencionais para plantar hortaliças, como semear e transplantar mudas para canteiros ou vasos”, explicou o técnico do Instituto Agrônomo de Pernambuco, Guilherme Almeida.

Outros moradores que tenham interesse em iniciar a agricultura familiar e receber as sementes podem se cadastrar no projeto através do número de Whatsapp, (81) 99357-4018. “O cadastro está sendo realizado excepcionalmente pelo Whatsapp. Iremos pegar todos os dados e em seguida fazer a marcação da área produtiva para disponibilizarmos as sementes”, disse.

Com Informações da Assessoria de Imprensa de Fernando de Noronha

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

Projeto Dom Hélder Câmara muda realidade de agricultores familiares de PE

O Projeto Dom Hélder Câmara vem mudando a vida do agricultor familiar em situação de pobreza, apoiando o desenvolvimento sustentável no semiárido do Nordeste, melhorando a produção e promovendo o acesso ao mercado e melhoria da renda dos agricultores e das agricultoras. A ação, na segunda fase de execução, é realizada pelo Governo do Estado, por meio do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) e Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola (FIDA), por meio da assinatura do Instrumento Específico de Parceria – IEP nº 009/17.

A iniciativa começou em 2017, em 913 municípios no Brasil, com 74 mil famílias beneficiadas em 11 estados, nove do Nordeste e dois do Sudeste, Minas Gerais e Espírito Santo. Em Pernambuco, foram selecionados 58 municípios que integram o semiárido pernambucano, no Agreste e Sertão, atendendo de forma continuada e diferenciada 5.460 famílias em situação de pobreza ao longo de três anos. As ações envolvem oficinas, intercâmbios, acesso a tecnologias sociais, elaboração de projetos produtivos e disponibilização de recursos para alavancar a produção agrícola e outras atividades não agrícolas.

A implantação de Unidades de Referência – UR, uma das atividades prevista no projeto, faz parte da estratégia do desenvolvimento comunitário, que tem como objetivo gerar conhecimento dentro da própria comunidade, utilizando tecnologias já desenvolvidas. Em Pernambuco, são 58 URs identificadas em processo de implantação.

Desse total, 25 já receberam intervenções que foram identificadas na metodologia de trabalho. São elas: perfurações de poços; construção de cisterna calçadão; implantação e ou melhoria de instalações físicas nas atividades de criação de galinha caipira, suínos, caprinos, ovinos, pecuária, artesanato; construção de cisternas, calçadão e banheiros; implantação de sistema de energia solar, irrigação por gotejamento, biogestores e implantação de unidade demonstrativa de palma forrageira.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

IPA entrega produtos da Agricultura Familiar em Cedro

O Instituto Agronômico de Pernambuco junto com a Prefeitura de Cedro, no Sertão de Pernambuco, distribuiu os produtos da Agricultura Familiar para as famílias em situação de vulnerabilidade social, no município. Os produtos são adquiridos através do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) coordenado pelo IPA.

A ação do IPA com o Programa de Aquisição de Alimentos – PAA faz parte do Termo de Adesão 003/2018, Proposta nº 000.005.046.26/2018, com o Ministério da Cidadania. O IPA é Unidade Executora do Programa, os recursos que viabilizam compra dos Alimentos são do Governo Federal, através do Ministério da Cidadania.

Essa etapa de distribuição contou com a presença dos fornecedores da Agricultura Familiar, da Nutricionista Carla Parente, da Secretária de Assistência Social Rosilene Sousa, da Coordenadora do CRAS Miriam Romão, da Coordenadora do CREAS Rozângela Figueredo do Coordenador do Programa Criança Feliz, João Higino.

Todas as famílias que receberam os alimentos são integrantes dos programas e serviços sociais e foram orientadas dos benefícios de frutas e verduras para a saúde, além de orientação de higiene e cuidados para evitar a dengue e o coronaviírus.

Os principais objetivos do PAA são fortalecer a agricultura familiar; fortalecer circuitos locais e regionais e também as redes de comercialização; valorizar a biodiversidade e a produção orgânica e agroecológica de alimentos; incentivar hábitos alimentares saudáveis; e estimular a organização dos agricultores familiares em cooperativas e associações.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

IPA distribui alimentos da Agricultura Familiar em Cedro

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) realizou nessa segunda-feira (27), a distribuição de frutas e verduras às famílias em situação de vulnerabilidade social, em Cedro, no Sertão de Pernambuco.

A ação faz parte da distribuição do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) da agricultura família, coordenado pelo IPA, que neste momento tem o objetivo de medidas sociais de enfrentamento da pandemia de Covid-19, fortalecendo também a segurança alimentar de famílias carentes e a agricultura familiar, que passou a enfrentar problemas de escoamento de produção por conta da pandemia.

A distribuição foi realizada em conjunto com os servidores dos programas sociais da Secretaria de Assistência Social, CRAS, Criança Feliz, CREAS e Cadúnico/Bolsa Família do município.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

Governo libera R$ 500 milhões para compra de produtos da agricultura familiar

O governo federal vai destinar R$ 500 milhões para a compra de produtos da agricultura familiar, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). A suplementação orçamentária foi articulada entre os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Ministério da Economia e o Ministério da Cidadania, que executa o PAA.

A Medida provisória 957/2020 foi publicada no Diário Oficial desta

segunda-feira (27) e abre crédito extraordinário em favor do Ministério da Cidadania para ações de segurança alimentar e nutricional, no âmbito do enfrentamento ao novo Coronavírus.

Por meio do PAA, agricultores, cooperativas e associações vendem seus produtos para órgãos públicos e os alimentos são destinados a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional, à rede socioassistencial, aos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional e à rede pública e filantrópica de ensino.

Para a ministra Tereza Cristina, a medida é importante para auxiliar as cooperativas de agricultura familiar e os pequenos produtores de leite. “Esses recursos chegarão lá na ponta, esperamos que de maneira muito rápida, para atender esses que passam por problemas muito grandes de sobrevivência”, avalia a ministra.

De acordo com a Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF), com os recursos, cerca de 85 mil famílias de agricultores familiares deverão ser beneficiadas, além de 12,5 mil entidades e 11 milhões de famílias em vulnerabilidade social, que receberão os alimentos.

“Esses recursos vão potencializar ainda mais o PAA. É um programa importante, porque ele atende a dois públicos: a agricultura familiar e a rede socioassistencial dos municípios, as pessoas que são as mais vulneráveis nas cidades”, destaca o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, Fernando Schwanke.

Recursos

Segundo a SAF, do total de recursos, R$ 220 milhões serão destinados para a Conab, que fará a compra de alimentos das cooperativas de agricultores familiares, por meio da modalidade do PAA Compra com Doação Simultânea. Depois disso, o Ministério da Cidadania indica a rede socioassistencial para onde os alimentos serão doados. Na mesma modalidade, estados e municípios terão R$ 150 milhões para termos de adesão para a compra de alimentos de agricultores familiares.

E R$ 130 milhões serão alocados para a modalidade PAA Leite, que possibilita a compra de leite in natura de laticínios e agricultores familiares do semi-árido brasileiro. Após processamento, o leite é distribuído às entidades.

Fonte: MAPA

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais