IPA sedia II Capacitação Presencial em Produção de Ovos Livres de Gaiola

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) sedia a segunda edição da Capacitação Presencial em Produção de Ovos Livres de Gaiola nesta sexta-feira (11), no auditório do Instituto, das 9h às 18h. Organizada pela Iniciativa Mira, projeto criado pelo Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, a atividade conta com apoio da Diretoria de Extensão Rural (DER).

O evento é dirigido a produtores de ovos, técnicos e estudantes, com interesse em avicultura, o evento será gratuito, mediante inscrições. Com a iniciativa, os organizadores esperam aprimorar o conhecimento técnico dos produtores e o manejo das aves em sistemas livres de gaiolas e promover o debate sobre as formas de comercialização de ovos livres de gaiola, seus entraves e soluções, além de proporcionar a troca de experiências entre produtores de ovos com diferentes vivências.

Sobre o Mira

Mira (Mapping, Informing and Raising Awareness em livre tradução: Mapeando, Informando e Conscientizando), é um movimento criado em 2021 pelo Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, para disseminar informações sobre a produção de ovos livres de gaiolas.

Em junho de 2021, o projeto realizou a I Capacitação Presencial em Produção de Ovos Livres de Gaiolas em três cidades de Minas Gerais: Uberlândia, Belo Horizonte e Viçosa para habilitar os produtores de ovos no trabalho com sistemas alternativos.

Leia Mais

Viabilidade econômica da parte aérea da mandioca na ração animal é tema de palestra em Saloá

“Viabilidade econômica da parte aérea da mandioca na ração animal” foi o tema da palestra ministrada por Alba  Lucínia, extensionista do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), do Escritório Local de Brejão. A iniciativa foi realizada pela Empresa  Alvoar, indústria Betânia e Instituto Luis Girão, em parceria com o IPA, na quinta-feira (25), em Saloá.

Participaram produtores de leite, técnicos e público interessado, totalizando 153 participantes de 22 municípios da região. Três gerências e técnicos de Arcoverde, Garanhuns e Lajedo se empenharam e viabilizaram o translado dos produtores de leite.

“A forrageira possui alto teor nutricional, substituindo parte da soja, pois, possui cerca de 20% de proteína de ( MS) matéria seca, em relação à ( MN) matéria natural, portanto uma alternativa de baratear o custo da ração, diminuindo o uso do farelo de soja”, destacou Alba.

Leia Mais

IPA é destaque na Caprishow de Dormentes

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) participa com um estande da Exposição, Feira e Leilão virtual de Caprinos e Ovinos (Caprishow) de Dormentes. Voltado para os produtores e criadores de animais, o evento acontece até sábado (30), com palestras, rodas de conversas, concursos, workshops, comercialização de animais, além de premiações que chegam a R$ 55 mil reais.

No evento, os técnicos do IPA recebem os agricultores que necessitam preencher a Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP). Ao todo foram emitidas 320 declarações. A DAP é a porta de entrada do agricultor familiar às políticas públicas de incentivo à produção e geração de renda.

Leia Mais

II SEMINÁRIO DE SAÚDE COLETIVA E AGROECOLOGIA TEM A PARTICIPAÇÃO DO IPA

Com o tema “Sentidos e caminhos da saúde coletiva e agroecologia: o bem viver nos territórios”, acontece no período de 26 a 28 de maio de 2022, o II Seminário de Saúde Coletiva e Agroecologia, no formato remoto.

O evento é uma realização da coordenação do Programa Residência Multiprofissional Integrada em Saúde Coletiva com ênfase em Agroecologia (PREMISCA), composta pela UPE Campus Garanhuns, UFAPE, IAM/Fiocruz e IPA/Grupo de Agroecologia.

Para a Gerente do Departamento de Educação do IPA, Milze Luz, este encontro “marca mais um momento importante desta parceria, pois a extensão rural do IPA, dialoga com diversos programas e projetos nos territórios, sendo esta residência um diferencial na vida das comunidades rurais que podem contar com mais uma política pública para melhoria de vida destas famílias, que tem como meio de sobrevivência a terra”.

As inscrições podem ser feitas através do link: https://forms.gle/dvBHWe55dJJESnKn9

Transmissão: Youtube – Residência em Saúde Coletiva e Agroecologia

MESA 1: https://youtu.be/tHdLCt5R5QM

MESA 2: https://youtu.be/ogs9QEmvj4s

MESA 3: https://youtu.be/SW2I4qKmeeQ

MESA 4: https://youtu.be/cBieAgJUKks

MESA 5: https://youtu.be/Ay7LhxRUmIc

Programação:

26 de maio

9h – Mesa 1Agroecologia é sáude –  a cura que vem da terra e dos saberes tradicionais” estarão presentes Dona Zeza (Ass. Mulheres Guerreiras Quilombolas do Castainho) e Jucelino Mendes (Ass. De Moradores Quilombola Castainho), e os extensionistas do IPA Silvana Lemos, Pedro Balensifer e Iran Xukuru (Etnia Xukuru do Ororubá).

14h – Mesa 2Conflito territoriais e grandes Empreendimentos – repercussões nos modos de viver e na saúde”, com o pesquisador da Fiocruz André Monteiro, Maria Braga (UFAPE), João do Vale (CPT) e Edivane Lopes (Caritas Nordeste 2).

27 de maio

9h – Mesa 3Onde se faz saúde coletiva e agroecologia? Trajetos tecidos até aqui..”. a coordenadora do Premisca, Wanessa Gomes e os residentes Guilherme Ricardo, Gustavo Cândido, Kalyne Cunha, Mariana Starling e Thalita Analyane debatem o tema.

14h – Mesa 4Territórios vivos – onde o diálogo de saberes e bem viver acontecem” com a presença de Alexandre Pires (Ativista dos Direitos Humanos e Movimento Agroecológico), Sr. Zé Carlos (Liderança quilombola de Castainho), Dona Dui (Ass. Nova Vida Sítio Cruz) e o Sr. Simão (STR-Caetés).

28 de maio

9h – Mesa 5 “A quem serve o pacote de veneno? Agrotóxicos e os males causados à saúde” com Louri Silva (Técnica em Agroecologia e Professora da UAST/UFRPE), Aline Gurgel (Fiocruz) e Jaime Amorim (MST).

O Programa

O Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Saúde Coletiva com ênfase em Agroecologia (PREMISCA) é desenvolvido pela Universidade de Pernambuco (UPE) – Campus Garanhuns, em parceria com o Departamento de Saúde Coletiva/NESC, do Instituto Aggeu Magalhães/IAM/FIOCRUZ, a Universidade Federal do Agreste de Pernambuco – UFAPE/UFRPE e o Instituto Agronômico de Pernambuco-IPA. Tem o objetivo de formar sanitaristas para atuação nos diversos espaços de gestão do Sistema Único de Saúde/SUS, com o olhar da construção agroecológica, e com a perspectiva da promoção da saúde.  A Residência tem duração de dois anos em regime de tempo integral, com carga horária semanal de 60 horas.

O Instituto Agronômico de Pernambuco, por meio do Grupo de Agroecologia-GEMA, colabora na orientação e acompanhamento dos residentes nas atividades de campo, em comunidades assistidas pelo IPA, com extensionistas na qualidade de preceptores do programa.

Leia Mais

IPA marca presença na 61ª Assembleia Geral Ordinária da Asbraer

O gerente do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural, Maviael Fonseca, representou o Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) na 61ª Assembleia Geral Ordinária da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (ASBRAER), que aconteceu em Goiás, na quinta (28/04) e sexta-feira (29/04).

O evento teve como foco central a discussão de projetos, ampliação de parcerias e estratégias para dinamização dos serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), como política pública indispensável à inclusão e fortalecimento dos negócios rurais de promoção ao desenvolvimento sustentável no Brasil.

Além disso, foram debatidas as perspectivas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (ANATER) para ATER pública em 2022, e foram elucidadas dúvidas sobre o Programa Nacional de Crédito Fundiário – Terra Brasil.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

Conselho de Administração do IPA promove reunião estratégica de gestão

O Conselho de Administração do IPA promove reunião estratégica sobre os processos administrativos da instituição, na manhã desta quarta-feira (09). Dentre os assuntos debatidos, está a análise e a aprovação dos documentos de gestão, demonstrações financeiras e o fechamento do relatório de gestão e sustentabilidade.

O presidente do IPA, Kaio Maniçoba, comandou a reunião. “As reuniões do conselho são importantes para o bom andamento dos processos de gestão da instituição. A partir desses encontros, analisamos as ações e tomamos as decisões estratégicas”, disse o presidente do IPA. Representando o secretário de Desenvolvimento Agrário, Claudiano Filho, atual presidente do Conselho, participou a coordenadora do departamento jurídico da SDA, Mirela Neukranz.

Participaram da reunião membros do Conselho de Administração, representantes das diretorias do IPA, coordenadores dos núcleos vinculados à presidência da instituição e assessores especiais da Secretaria de Desenvolvimento Agrário.

Fonte: NUC

Leia Mais

IPA entrega sementes de milho e sorgo em Parnamirim

A Gerência Regional do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), em Salgueiro realizou na terça-feira (9), a entrega de sementes de milho e sorgo do Programa Campo Novo para agricultores de Parnamirim.

Seguindo o protocolo do distanciamento social, marcaram presença o gerente regional do IPA Adalmi de Góes, o extensionista do IPA, Joaquim Lucas e o supervisor Francisco Sávio. Além do prefeito de Parnamirim, Nininho Carvalho, o vice-prefeito Rennê Alencar e o secretário de agricultura Geraldo Lustosa.

Ao todo, entre milho e sorgo forrageiro foram 6.200 kg de grãos destinados ao município, sendo 400kg de sorgo BRS Ponta Negra e 5.800kg de milho Gurutuba. A distribuição teve início pelo Sertão do Araripe, onde a estação chuvosa já está começando. Na região, os agricultores receberam cerca de 148 toneladas de sementes, entre milho e sorgo.

As sementes distribuídas têm potencial para proporcionar uma colheita de aproximadamente 35 mil toneladas de milho e de 744 mil toneladas de forragem (sorgo forrageiro) para alimentação animal. A quantidade de massa verde colhida a partir do sorgo é suficiente para alimentar mais de 200 mil vacas em lactação, por um período de seis meses, reforçando a produção da bacia leiteira do Araripe.

Criado em 2019, o Programa Campo Novo tem como foco a entrega das sementes exatamente no início da quadra chuvosa, permitindo o plantio durante esse período no Semiárido do Estado. Logo após o Araripe, 88 toneladas de sementes serão distribuídas no Sertão do São Francisco.

Na sequência, o Sertão de Itaparica receberá 39,2 toneladas; o Sertão Central terá 46,6 toneladas; o Sertão do Pajeú receberá 125,2 toneladas; e o Sertão do Moxotó contará com 36,5 toneladas, sempre englobando milho e sorgo.

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais

Curso sobre Oratória, Retórica e Estratégias de Comunicação reúne 25 servidores do IPA

Este mês, 25 servidores do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) participaram do curso “Oratória, Retórica e Estratégias de Comunicação”, promovido pelo Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos do Estado de Pernambuco (CEFOSPE).

O Curso, exclusivo, buscou se enquadrar na proposta de capacitação online, seguindo protocolos do “novo normal”, e por isso foi realizado por meio da Plataforma Microsoft TEAMS, levando uma proposta satisfatória dentro do processo de ensino e aprendizagem. “Uma oportunidade de aperfeiçoamento e desenvolvimento de novas habilidades, principalmente a oratória tão necessária para a Extensão Rural. Agradeço, em nome do IPA, a todos os componentes da equipe de capacitação virtual pela articulação, planejamento e organização do curso” , ressaltou Milze Luz, gerente do Departamento de Educação e Metodologia de Extensão Rural (DEEM).

Os servidores foram capacitados pelo consultor em Oratória, Robson do Monte, instrutor credenciado pelo Cefospe desde 2013, onde sempre ministrou o esse curso de forma presencial. Neste momento, Robson trouxe ferramentas especificas do Ensino à Distância, a fim de tornar os aprendizes mais eficazes na habilidade comportamental de falar bem. “Turma participativa e com um nível de conhecimento acima da média. Os feedbacks entre instrutor, coordenador e alunos fluíram de forma natural e intensa. Muito feliz com o resultado”, destacou Robson do Monte.

O curso de Oratória, Retórica e Estratégias de Comunicação abordou diversos tópicos em seu conteúdo programático, como por exemplo: o controle do medo de falar em público, os passos corretos para uma excelente comunicação, os componentes da influência humana durante a fala (Voz, Discurso e Expressão Corporal), o uso correto do microfone, visualização correta do público, postura do orador, quebra de resistência do público, e muitos outros que completaram com maestria essa jornada de cinco dias na sala de aula virtual. “O curso foi muito proveitoso, mais do que dicas, foi um grande aprendizado que sem dúvida colocarei prática na minha vida”, falou André Lima, extensionista do Escritório do IPA, em Lagoa Grande.

Para Tereza Cristina Veras, do escritório do IPA em Carnaíba, foi possível compreender a importância de falar com objetividade, clareza e técnica. Já para Marcos Alberto dos Reis, técnico do IPA, em Triunfo o curso de Oratória possibilitou adquirir novos conhecimentos para melhor trabalhar com o público alvo.

“Coordenar o curso de Oratória, oferecido pelo Cefospe na Plataforma Teams, sem precisar sair de casa, foi uma satisfação e um grande aprendizado. Afora isso, o instrutor Robson do Monte, além de muito competente na teoria e na técnica, possibilitou que os alunos treinassem o seu potencial, como comunicadores durante todo o curso”, destacou a coordenadora do curso, Leônia Simões.

Fonte: Núcleo de Comunicação do IPA

Leia Mais

Importância e Necessidade da Metodologia de Avaliação Econômica de Projetos Sociais

Ao longo da história da implementação de politicas públicas, no Brasil, a não ser de certos anos para cá, nunca houve uma ferramenta de gestão que possibilitasse as empresas públicas oficiais de prestação de serviços de assistência técnica e extensão e de pesquisa, a exemplo das extintas EMATERES e do IPA realizarem avaliações de viabilidade econômica das suas respectivas ações no desenvolvimento de projetos de cunho social, Na minha caminhada de extensão rural, há mais de 45 anos, principalmente quando estive no cargo de diretor de Extensão Rural da extinta EBAPE e do IPA, sempre questionava com vários colegas, o porquê de não procurar saber o que acontecera na vida dos agricultores assistidos por nós, num certo período de tempo! O que se fazia era, apenas, uma análise qualitativa sobre o que se planejara e o que se tinha alcançado, procurando-se justificar quando não se alcançava cem por cento das metas. Isso sempre me deixou angustiado!

Esse paradigma poderá ser quebrado, hoje, graças a Metodologia de Avaliação de Projetos Sociais disseminada, principalmente pela Fundação Itaú, é possível utilizar essa ferramenta de gestão para identificar e responder as seguintes questões: a) os seus objetivos foram alcançados? ou seja, fez diferença para os participantes dos projetos, avaliando-se quantitativa e objetivamente os dados dos projetos. Com isto, será possível contribuir na realização de ajustes e aperfeiçoamento; b) houve impacto social? É uma oportunidade de avaliar e verificar qual tenha sido o impacto desses projetos, na vida dos participantes. E, depois, saber se os resultados obtidos foram realmente causados por eles; c) Houve retorno econômico para a sociedade? Ou seja, será possível comparar os investimentos dos projetos e os benefícios monetários gerados ao longo da vida dos seus participantes. Trata-se, portanto, do retorno social da iniciativa; e, d) consequentemente, será possível identificar a transformação da realidade.

É público e notório que a implantação de projetos sociais pelo IPA, são considerados como experiências exitosas, a exemplo do Projeto Dom Hélder, PAA, Horta em Todo Canto, Mãe Coruja, Pronaf, Quintal Produtivo (Calumbi), Programa de Palma Forrageira, Programa de Melhoramento Genético, entre outros, ou mesmo de resultados de Unidades Demonstrativas, como a de Criação de Camarão Marinho no Semiárido, com afirmações de terem produzidos bons resultados transformadores para os seus beneficiados. Não seria oportuno, agora, usar essa Metodologia, já que a “Casa” tem técnicos com conhecimento e domínio da mesma, no sentido de conhecer as transformações ocorridas? de medir a eficiência desses projetos? Como assegurar que os recursos foram suficientes e bem aplicados? A avalição econômica é o caminho para encontrar essas respostas. É de bom alvitre lembrar que, três análises preliminares foram realizadas pelo IPA, nos Macroprogramas de Pecuária de Leite, Terra Pronta e Produção de Grãos, Raízes e Tubérculos nos três últimos anos.

Trata-se, portanto, de um processo contínuo que contribuirá para a melhoria da gestão, para consolidar conhecimento na viabilidade e na consistência de programas e projetos sociais. Todavia, organizar e implantar eventos de capacitação, para todos os extensionistas e pesquisadores seria a estratégia inicial, como forma de disseminação desse conhecimento e da importância do uso dessa ferramenta de gestão. Evidentemente essa idéia, caso aceita, poderia ser discutida e implantada após essa tempestade da COVID 19.

Artigo de Giuberto Ramos | Supervisor do DEPG/DER

Fonte: Núcleo de Comunicação

Leia Mais
  • 1
  • 2