A volta da cultura do algodão em Pernambuco

Embrapa e IPA iniciam pesquisas com cultivares nas estações experimentais do instituto em várias regiões do estado

Uma pesquisa do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e a Embrapa Algodão poderá trazer de volta ao estado o status conquistado na década de 70, quando Pernambuco figurava como um grande produtor de algodão no país. Por meio de um convênio de cooperação técnica, o IPA e a Embrapa iniciaram o plantio experimental de cultivares do algodão (branco e colorido), com o objetivo de pesquisar e avaliar o comportamento das cultivares nas diferentes regiões do estado. E também identificar as áreas mais propícias para o cultivo, tendo como referência a produtividade e os custos envolvidos.

Na última segunda-feira (5), os pesquisadores implantaram a primeira Unidade de Referência Tecnológica (URT) na estação experimental do IPA, no Sertão do Araripe, em uma área de aproximadamente dois mil metros quadrados. Outras unidades serão instaladas nas estações de Serra Talhada, no final deste mês, e mais uma em Caruaru, na primeira quinzena de abril.

De acordo com o diretor presidente do IPA, Joaquim Neto, o contrato de cooperação técnica com a Embrapa foi firmado no segundo semestre de 2023.  “Agora, demos o primeiro passo para retomar a produção do algodão em Pernambuco. Uma ação que poderá influenciar na melhoria da oferta de matéria prima para o setor têxtil e criar mais uma alternativa de renda para os agricultores familiares”, destacou o gestor.

 O Polo de Confecções do Agreste, um dos maiores do país, movimenta em torno de R$ 5 bilhões na economia do estado. (Fonte NTCPE). A retomada do plantio de algodão poderá impulsionar a produção de matéria prima (fios, tecidos, etc) para o setor, otimizando custos logísticos como frete e impostos.

“A volta da cultura passa necessariamente pela adoção de práticas e tecnologias modernas e sustentáveis de cultivo que favoreçam melhores índices de rentabilidade. Ação que pode gerar um impacto significativo nas esferas social e econômica para os agricultores familiares do estado”, afirmou Jaime Cavalcanti, pesquisador da área de melhoramento genético de algodoeiro da Embrapa Algodão.

Para Jaime Cavalcanti, as áreas mais propícias são as de tipografia mais planas, que possibilitam a mecanização do cultivo, sobretudo a colheita. O ciclo de colheita do algodoeiro ocorre uma vez por ano, que pode ser cultivado em sistema de rotação de culturas, como por exemplo: o milho, a mandioca e o milheto, contribuindo para ampliar a estabilidade da produção. 

Leia Mais

Técnicos do IPA e Adagro discutem alternativas para o manejo da mosca de estábulo em Pernambuco

A reunião aconteceu nesta quinta-feira, na sede do instituto

Alternativas de manejo da mosca-de-estábulo (Stomoxys calcitrans) foi a pauta da reunião realizada, nesta quinta-feira (8), entre técnicos do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e da Agência de Defesa Agropecuária de Pernambuco (Adagro). A espécie é considerada hoje como o principal problema para a pecuária do estado.

De acordo com os técnicos do IPA, alguns municípios do Agreste os rebanhos já estão sendo afetados pelo inseto. Daí a preocupação dos órgãos governamentais de conter proliferação da mosca e assim, evitar prejuízos para os pecuaristas e, consequentemente, para a economia local.

No encontro, realizado na sede do IPA, houve uma discussão preparatória para a reunião, no dia 21 deste mês, do grupo de trabalho criado pelo Governo do Estado para discutir o manejo da mosca-de-estábulo em Pernambuco.

Da reunião desta quinta-feira, participaram o diretor presidente do IPA, Joaquim Neto, a diretora presidente da Adagro, Raquel Miranda, o diretor de Defesa e Inspeção Vegetal da Adagro, Jurandir Cavalcante Júnior, o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do IPA, Henrique Castelletti, e os técnicos do instituto Liane Maranhão, Elisabeth Maranhão e Geraldo Majella. Também participou o superintendente do Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA) em Pernambuco, Caetano De Carli.

Leia Mais

Pesquisadora do IPA terá trabalho publicado por instituição internacional sobre agricultura urbana e periurbana

A pesquisadora do IPA Eliane Noya terá, em breve, um artigo e também um livro, com um capítulo sobre agricultura urbana e periurbana, publicado pelo LADYSS- Universidade de Paris/Nanterre. A confirmação aconteceu após Eliane, que também é pesquisadora associada do LADYSS, em importante trabalho de cooperação internacional, fez uma apresentação sobre o Seminário de Avaliação do Projeto Agricultura Urbana e Periurbana, Cultura, Religião e Conhecimentos Tradicionais Quilombolas da Região Metropolitana do Recife. Ela fez a apresentação na sexta-feira (2), no LADYSS em Paris/FR.

O Projeto Agricultura Urbana e Periurbana, Cultura, Religião e Conhecimentos Tradicionais Quilombolas da Região Metropolitana do Recife é uma iniciativa que busca promover a agricultura sustentável nas áreas urbanas e periurbanas. O objetivo é garantir o acesso à alimentação saudável e a segurança alimentar e nutricional da população urbana.

A pesquisa realizada pelo IPA do Projeto Agricultura Urbana e Periurbana, Cultura, Religião e Conhecimentos Tradicionais Quilombolas da Região Metropolitana do Recife foi financiada pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe).

Leia Mais

IPA tem papel fundamental na produção de cebola do estado

As sementes da hortaliça são cultivadas em campos das estações experimentais de Ibimirim, Arcoverde e Belém do São Francisco

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) vem realizando um trabalho essencial para ampliar a produção de cebola no estado. As sementes desta hortaliça são cultivadas nos campos de produção das estações experimentais de Ibimirim, Arcoverde e Belém do São Francisco, no Sertão do Estado. É uma ação que beneficia diretamente o produtor de sementes de cebola.

De acordo com Júlio Mesquita, supervisor do Programa Hortaliças, na estação experimental de Ibimirim temos um campo de produção de semente básica da cultivar Franciscana IPA 10 (cebola roxa). Na estação de Arcoverde, temos a cultivar da ValeOuro IPA 11 (cebola amarela) e em Belém do São Francisco, o desenvolvimento de pesquisas com melhoramento genético e produção de sementes genéticas.

Segundo o pesquisador do IPA, a semente básica da cebola é a semente disponibilizada aos produtores de sementes de cebola do estado. “Então, é um papel social muito importante, pois além de beneficiar os produtores de sementes de cebola têm a possibilidade de gerar renda para eles e os municípios onde as sementes são produzidas”, afirmou o pesquisador.

Ele disse, ainda, a que a relevância da cebola é “grandiosa” para a vida do agricultor familiar que está na região do semiárido de Pernambuco, Paraíba e Bahia, principalmente, os que cultivam cebola a partir das variedades do IPA. “Isso devido essas variedades terem o preço da semente bem inferior as sementes híbridas das empresas multinacionais”, observou Júlio.

Leia Mais

IPA promove reunião entre jovens pesquisadores e cientistas do instituto para troca de saberes científicos

O encontro é o primeiro de muitos outros que a empresa irá realizar com pesquisadores, doutorandos, pós-doutorandos e estudantes de graduação de diversos cursos ligados ao setor agropecuário das universidades pernambucanas

Em mais uma ação cotidiana para promover a aproximação e integração entre os pesquisadores e os novos cientistas pernambucanos, o Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) realizou, nesta terça-feira (23), uma reunião (online e presencial) para troca de saberes sobre o direcionamento da ciência em Pernambuco, projeções e contribuições aos produtores rurais do estado. Desse primeiro encontro, participaram estudantes vinculados ao IPA, junto ao pesquisador Antônio Félix, que tem mais de 40 anos dedicados ao trabalho científico no instituto.

O diretor presidente do IPA, Joaquim Neto, esteve presente à reunião e reafirmou a disposição da empresa em promover outros encontros com os futuros pesquisadores. “Esse é a primeira reunião, mas vamos realizar muitas outras. O IPA é uma empresa que tem transversalidade, parcerias com várias instituições governamentais e não governamentais.  O que digo a vocês é que aproveitem muito esse momento aqui”, ressaltou o presidente.

Uma das participantes da reunião, a bióloga e doutoranda Marielle Porto, falou sobre a importância do seu trabalho de pesquisa ter a supervisão do pesquisador Antônio Félix. “A presença dele é muito importante, devido a sua formação de melhorista. Ele nos traz muitas informações e sempre nos acompanha no campo. Ele, realmente, é um pai científico”, assegurou.

Para a nutricionista, e também doutoranda, Keliane Lima, a parceria com IPA, especialmente com a Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD), é fundamental. “Atualmente, estamos trabalhando com desenvolvimento e formulação de produtos alimentícios, com o bioma da caatinga e utilizando para isso as estações experimentais do IPA, especificamente a de Ibimirim. Então, o papel do IPA é fundamental para o conhecimento científico do nosso estado”, observou.

Luciana Oliveira, que é bióloga e pesquisadora bolsista do IPA, enfatizou a dinâmica da empresa de trazer estudantes das universidades, principalmente a Universidade de Pernambuco, para essa aproximação com a empresa. “Com isso, a gente vai agregando mais recursos humanos, fazendo com que o conhecimento seja repassado cada vez mais”, afirmou.

O pesquisador Antônio Félix destacou que o IPA, como uma instituição estadual de pesquisa, trabalha para todo o estado, mas os resultados dessas pesquisas são utilizados no Brasil inteiro.

“As variedades do feijão, por exemplo, já foram cultivadas em Rondônia, Acre, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Então, as pesquisas do IPA servem para o estado, para os agricultores, mas também têm abrangência nacional e até em outros países, como em alguns da África, onde as adaptações da cebola e do feijão deram excelentes resultados”, explicou Antônio Félix.

A reunião contou com a presença de pesquisadores, doutorandos, pós-doutorandos e estudantes de graduação da UFPE, da UFRPE e da UPE, de diversos cursos ligados ao setor agropecuário. Do IPA estavam presentes o diretor-presidente Joaquim Neto, junto ao assessor Hildelberto Rodrigues, o pesquisador Antônio Félix, o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento, Henrique Castelletti, Eline Gomes, pesquisadora e gerente da Estação Experimental de Itapirema, Geraldo Majella, gerente do Departamento de Pesquisa e Agropecuária, e os pesquisadores José de Paula e Eric Carvalho.

Leia Mais

IPA acompanha colheita do experimento do arroz em Vitória de Santo Antão

O trabalho é realizado em parceria com o MST

Em mais uma ação para o fortalecimento da agricultura no nosso estado, o Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) acompanhou, nesta quinta-feira (4), a colheita dos experimentos do arroz, no assentamento Pedreiras, em Vitória de Santo Antão. O trabalho vem sendo realizado em parceria com Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

“Este é o verdadeiro papel do IPA. Fazer pesquisa e extensão rural para e junto com os agricultores. A retomada do arroz é uma alternativa importante, e mais um passo na busca da soberania alimentar”, destacou o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do instituto, Henrique Castelletti.

O arroz já foi plantado em Aliança (colhido), Vitória (colhido nesta quinta-feira), e Água Preta, que tem previsão de colheita para o próximo mês.

Além de Henrique Castelletti, também acompanharam a colheita o diretor de Extensão Rural, Francisco Dantas, o curador da Pesquisa, Antônio Félix, e a pesquisadora Palmira Cabral.

Leia Mais

Com uma visita à Estação Experimental de Itapirema (Goiana), o diretor-presidente do IPA, Joaquim Neto, encerra maratona pelo interior do estado em 2023

O presidente esteve nas estações experimentais, gerências regionais e escritórios locais

Com uma visita à Estação Experimental de Itapirema (Goiana), nesta sexta-feira (22), o diretor-presidente do IPA, Joaquim Neto, encerrou a série de visitas feita por ele às estações experimentais, gerências regionais, e escritórios locais da empresa no estado, em 2023. Uma maratona em que teve a oportunidade de conversar com os funcionários, agricultores, produtores rurais e ouvir as demandas em cada região.

Em Itapirema, Joaquim Neto recebeu a visita do deputado estadual, Antônio Moraes, e do prefeito de Goiana, Eduardo Honório, que, além de constarem o trabalho de recuperação que está sendo feito na estação, participaram de um momento de confraternização com os funcionários do IPA e terceirizados da estação.

Em conversa com a equipe, Joaquim Neto fez um breve relato das atividades realizadas pela empresa neste ano e as perspectivas para 2024. “Fizemos um trabalho de escuta muito importante. Só assim, a gente projeta 2024.Temos muitos projetos elaborados e prontos nas áreas da pesquisa, extensão rural e recursos hídricos. Enfim, são projetos que vêm beneficiar agricultor rural, o criador e, principalmente, o agricultor familiar¨, disse.

Ele acrescentou, ainda, que o trabalho do IPA está sendo feito para atender o programa de governo da governadora Raquel Lyra, “quando ela fala na produção de alimentos, na comercialização e no combate à fome. É com assistência técnica e muito trabalho que fizemos o ano de 2023 com esse formato de gestão da empresa”, frisou.

Ao falar sobre a gestão do IPA, o deputado Antônio Moraes ressaltou que Pernambuco é um estado agrícola e que o instituto, com suas equipes de pesquisa e extensão rural, tem muito a oferecer aos agricultores pernambucanos. “E é isso que a atual gestão está fazendo, dando IPA condições de atender nossos agricultores”, pontuou o parlamentar.

“O IPA é importantíssimo para os agricultores do nosso estado.  Me doía muito passar por aqui vê tudo isso se acabando. Mas, agora estamos presenciando um outro momento. É com muita alegria que estou acompanhando esse processo de recuperação do IPA/Goiana, onde vimos nascer tanta pesquisa importante para os nossos agricultores”, ressaltou o prefeito do município, Eduardo Honório.

A gerente da estação, Eline Gomes, acompanhou a visita, que também contou com a presença dos diretores do IPA, Henrique Castelletti (Pesquisa e Desenvolvimento), Pedro Oliveira (Infraestrutura Hídrica) e os pesquisadores Júlio Mesquita e Antônio Félix.

Leia Mais

Parceria Estratégica entre IPA e Embrapa para beneficiar os produtores do Semiárido

A proposta é ampliar o cultivo de Cajueiro Anão de alta produtividade

O Diretor-presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Joaquim Neto, e um grupo de pesquisadores se reuniram nessa segunda (11) com o Chefe Geral da Embrapa Agroindústria Tropical, Gustavo Saavedra. O encontro teve como objetivo consolidar um promissor convênio de cooperação técnica entre as instituições, visando o desenvolvimento e implementação de novas tecnologias para o cultivo do cajueiro anão nas regiões semiáridas de Pernambuco.

Durante a reunião, foram discutidos os detalhes do acordo, que busca unir esforços e conhecimentos para impulsionar a produção de caju no estado. A parceria estratégica entre o IPA e a Embrapa tem como foco principal a pesquisa e aplicação de tecnologias inovadoras que permitam o melhor aproveitamento das condições climáticas do semiárido pernambucano.

O cajueiro anão, uma variedade que se adapta bem a climas mais secos, torna-se peça-chave nesse projeto de desenvolvimento. O objetivo é, não apenas aumentar a produtividade, mas também promover a sustentabilidade ambiental e a segurança alimentar nas comunidades que dependem da agricultura como meio de subsistência.

Joaquim Neto ressaltou a importância da parceria, afirmando: “Estamos firmando diversas parcerias com a Embrapa, a exemplo do algodão, amendoim, alho, e agora, o cajueiro anão, culturas que fazem parte da tradição regional e que podem dinamizar a cadeia produtiva local, especialmente da agricultura familiar”, disse Joaquim Neto. 

O diretor de pesquisa do IPA, Henrique Castelletti, destacou a transferência de tecnologia como elemento-chave: “A gente transfere essa tecnologia da Embrapa, que já está estabelecida e bem trabalhada, para os produtores do sertão e, com isso, eles aumentam a sua produção e rentabilidade.” A previsão é que, em 2024, essas parcerias já comecem a render muito frutos. Em 2023, a experiência na produção de semente de arroz da Embrapa em Pernambuco foi sucesso.

Leia Mais

Pesquisador do IPA participa de visita técnica na França

O pesquisador do IPA, Dr. Josimar Gurgel, está em visita técnica a França, em virtude de projeto de pesquisa em conjunto com o LADYSS (Laboratório de Dinâmicas Sociais e Recomposição de Espaços), que é formado por um consórcio de unidades. “A ideia é avançar com a construção de novas parcerias e promover a cooperação técnica e científica entre as instituições”, destacou Josimar.

Além disso, o pesquisador busca também estabelecer parcerias com o INRAE (Instituto Nacional de Investigação em Agricultura, Alimentação e Ambiente), que é o resultado da fusão do INRA e do Irstea.  A principal organização global de investigação especializada nestas três áreas, além de ser um estabelecimento de ensino superior.  Está empenhada em enfrentar os desafios que lhes dizem respeito, propondo novos rumos através da investigação, inovação e apoio a políticas públicas para transformar de forma sustentável a agricultura, a alimentação e o ambiente.

A humanidade e o planeta enfrentam mudanças globais que estão a criar novas expectativas para a investigação, particularmente nas áreas da agricultura, alimentação e ambiente: mitigação e adaptação às alterações climáticas, segurança alimentar e nutricional, transição agrícola, preservação dos recursos naturais, restauração de biodiversidade, antecipação e gestão de riscos.

A isto juntam-se questões mais territorializadas que incluem as condições de vida e remuneração dos agricultores, a competitividade econômica das empresas, o planeamento territorial e o acesso a alimentos saudáveis ​​e diversificados para todos.

Também busca estabelecer parcerias com o CIRAD (Centro de Cooperação Internacional em Investigação Agrícola para o Desenvolvimento), que é a organização francesa de investigação agrícola e cooperação internacional para o desenvolvimento sustentável das regiões tropicais e mediterrânicas. E está a co-construir conhecimentos e soluções para uma agricultura resiliente num mundo mais sustentável e unido. Mobiliza a ciência, a inovação e a formação para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável. Coloca a sua experiência ao serviço de todos, desde os produtores às políticas públicas, para promover a proteção da biodiversidade, as transições agroecológicas, a sustentabilidade dos sistemas alimentares sustentáveis, a saúde (das plantas, animais e ecossistemas), o desenvolvimento sustentável das zonas rurais e a sua resiliência às alterações climáticas.

Leia Mais

Diretoria do IPA recebe demandas de agricultores e representantes de prefeituras, associações e conselhos municipais no interior do estado

A comitiva esteve, nesta quarta-feira, em Afogados da Ingazeira e Tuparetama

Em mais uma maratona pelo interior de Pernambuco, a direção do IPA segue no trabalho de restruturação da empresa, ouvindo as demandas direcionadas ao instituto, entre elas distribuição de sementes, implementos agrícolas e assistência técnica. A reuniões acontecem nos escritórios regionais com a participação dos técnicos da empresa, agricultores da família, representantes das prefeituras, sociedade civil, associações e conselhos municipais.

Nesta quarta-feira (22), o diretor-presidente do IPA, Joaquim Neto, o pesquisador Antônio Félix, acompanhados de técnicos do instituto, estiveram em Afogados da Ingazeira e Tuparetama, no Sertão do Pajeú. Nos dois municípios, a decisão da diretoria do IPA de percorrer as cidades foi vista de maneira positiva porque, além colher as demandas, está promovendo a integração de todos as áreas de atuação do IPA.

Em Afogados da Ingazeira, os participantes da reunião falaram sobre capacitação, crédito rural, novas tecnologias aplicadas no campo e produção de novas culturas, a exemplo do algodão, além da necessidade de melhoria no abastecimento de água. Ainda na cidade, Joaquim Neto concedeu entrevista ao radialista Aldo Vidal, do Programa Manhã Total, junto com gerente de Articulação Regional do Governo do Estado, Mário Viana Filho.

Na reunião, em Tuparetama, os participantes destacaram a ausência do IPA na região e se mostraram esperançosos com a perspectiva que, com atual gestão, o homem e a mulher do campo possam ter um novo alento. “Nossa esperança é que o IPA volte a ser o que era antes, quando dava ao produtor rural a assistência técnica que ele precisava”, disse José Eudes, secretário de Agricultura de Tuparetama.

“O campo está se esvaziando. O solo é seco, mas temos que aprender conviver com a seca. Estamos trabalhando para dar condições do agricultor/a enfrentar essas adversidades climáticas”, disse Joaquim, que recebeu e assinou toda a documentação relativas as reivindicações apresentadas pelos agricultores e representantes de associações.

“Participamos de uma reunião muito importante com a diretoria do IPA. Voltamos com o coração mais aberto, mais esperançoso de que, com esse rumo, vamos ter uma guinada na vida do agricultor. E, nós, vamos ter mais motivação, tanto no trabalho como no campo pessoal”, comentou Aleide Vasconcelos, extensionista de Tabira.

Em Tuparetama, a direção do IPA se reuniu, no Escritório Municipal, com os funcionários do IPA da região. O prefeito de Tuparetama, Domingos Sávio, e a prefeita de Tabira, Nicinha Melo, acompanharam a reunião.

Leia Mais